Vários são os culpados no caso do Gorila Harambe!

Sempre que algo trágico acontece ou está para acontecer, aparecem aquelas pessoas com “espírito” jornalístico e começam a filmar com os magníficos aparelhos celulares que todo mundo leva no bolso, hoje em dia.

Ontem, assisti alguns dos materiais criados por esses repórteres amadores, sobre o caso do gorila que foi abatido no zoológico de Cincinati, nos Estados Unidos, essa semana.

Isso me fez perceber que houveram vários e vários erros cometidos na sucessão de fatos que levou ao tiro fatal em Harambe, de 17 anos, para proteger a vida de um garoto de 4, que estava sim em perigo.

Como eu disse, há vários erros, e mais de um culpado. Mas com certeza, os menos culpados são Harambe, vítima das circunstâncias e o garoto, vítima de várias coisas.

As imagens que eu vi, são fortes.
Não os trechos selecionados, escolhidos por quem é contra ou a favor da ação tomada pela direção do Zoo. O gorila não estava dando a mão para o garoto, como alguns outros Blogs teimam em alardear. Foram aproximadamente 10 minutos em que o garoto foi arrastado pelo viveiro, levantado pelas pernas, pela roupa, deixado parado… Enfim… O Gorila não sabia o que aquele pequeno ser humano estava fazendo lá, mas aparentemente também não o via como ameaça. Talvez estivesse tratando o menino como trataria um pequeno gorila também.

O fato é que depois de ter caído vários metros até o viveiro e ter sido arrastado por Harambe, o garoto já estava bem machucado, cansado e a cada “trote” que o gorila dava com ele para o outro lado da jaula, o risco de afogamento ou de um traumatismo mais grave, se tornava mais próximo, real e preocupante.

Eu não gostaria de estar na pele dos administradores do Zoo de Cincinati nesse dia. Tomar a decisão do tiro fatal, que resolveria o impasse, mas ao mesmo tempo tiraria do “acervo” deles um animal raro e valioso. Além de tudo isso, a morte do primata trouxe à tona a discussão sobre a própria existência dos zoológicos como lugar para “diversão” dos humanos. No mesmo recinto onde Harambe vivia, também haviam duas fêmeas, que não se aproximaram. Matar o gorila causou não só um impacto na imagem do zoológico, mas também na vida futura das duas gorilas, que também não tem culpa.

O que me deixa pensativo, e a simulação que eu vi mostrou, foi que aparentemente, a separação dos passeios dos pedestres, do fosso que levava ao recinto do gorila era uma cerca viva.

Ok. Um menino de 4 anos caiu. Mancada dos pais. Mancada feia, brutal, fortíssima. Irresponsabilidade, falta de atenção, acidente… Enfim. Gera tantos sentimentos misturados que é até difícil saber o que falar a respeito. “Nada disso teria acontecido…” E podemos completar essa frase com um monte de coisas sobre os pais.

No entanto, o zoológico também errou feio. Deixou uma brecha aberta que durou até esse acidente. Se um idoso se desequilibrasse e caísse sobre a cerca, também teria um encontro com o finado gorila. Se alguém tivesse um mal súbito e desmaiasse próximo da cerca, acordaria em maus lençóis. Provavelmente haverá mudanças na estrutura de segurança. Típico caso de colocar a tranca depois da casa roubada.

É uma pena que o animal precisou ser sacrificado. Isso não precisava ter acontecido. Muitos foram os erros. Espero que pelo menos as lições fiquem registradas.

[]’s
Pai Mesmo

Comente com sua conta do Facebook